+revistas #7

No n.º4 da revista PGM, a Dra. Inês Luz aborda a evolução da Pediatria em termos científicos, que se traduz na adopção de terapias inovadoras, na criação de normas de orientação à semelhança da MGF e numa maior autonomia desta especialidade.

Nesta edição, a autora toca em vários temas pertinentes, como as cólicas do lactente, onde é fundamental a exclusão de patologias com necessidade de intervenção breve e a falta de evidência científica na efectividade do uso de probióticos de um modo geral, estando no entanto indicados na gastroenterite aguda e na enterocolite necrotizante no recém-nascido pré-termo segundo a edição de Julho do Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition. Destaca também a ausência de evidência na relação entre o número de horas a dormir antes dos 4 meses de idade e outcomes em saúde e sublinha a importância do diagnóstico e abordagem correctos no refluxo gastro-esofágico de forma a evitar terapêuticas ineficazes.

Na hipertensão arterial em idade pediátrica relembra a relevância da articulação com a nefrologia pediátrica. Faz a ligação entre as doenças que não eram associadas à idade pediátrica e que actualmente são reconhecidas neste grupo, onde a medicina preventiva assume um papel crucial, e as doenças classicamente pediátricas, como a fibrose quística e doenças metabólicas. Devido ao aumento da esperança de vida pela evolução das opções terapêuticas, alguns doentes atingem hoje a idade adulta, o que leva à necessidade em apostar na formação pré e pós-graduada nestas áreas. Por outro lado, aborda a temática dos gadgets enquanto ferramentas de apoio à consulta e relembra o papel das redes sociais como potenciais ferramentas na prevenção.

Salienta, por último, a abertura da Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos Pediátricos em Portugal e as formações desenvolvidas pela Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, que poderão contribuir para modificar a classificação de Portugal como o país da Europa Ocidental menos desenvolvido nos Cuidados Paliativos.

Apesar dos avanços científicos em Pediatria não se deve descorar a abordagem holística, considerando o ser humano na sua magnitude.

Ana Rente, colaboradora +mgf

Diana Tomaz, colaboradora +mgf

pgm

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s